Uma das mais importantes empresas do ramo de infraestrutura e serviços de gestão de Tecnologia da Informação, analisa os principais pontos de um Data Center Moderno. A organização, que conta com mais de 100 clientes no país, mostra que é preciso sempre inovar e estar atento às tendências do mercado. Entre janeiro de 2015 e setembro de 2016, registrou um aumento de 144% de recursos computacionais alocados para a oferta em Nuvem. Com um dos mais modernos data centers do Brasil, ela tem investido constantemente para aprimorar cada vez mais sua infraestrutura de TI, dentro das melhores práticas internacionais do setor. Márcio Rocha, coordenador de Infraestrutura da empresa, mostra o que diferencia um Data Center Moderno. “O primeiro critério a ser considerado é a certificação Tier III. Ela assegura uma operação com os melhores níveis de confiabilidade de infraestrutura tecnológica e é concedida para empresas, que garantem a continuidade dos serviços em qualquer tipo de queda, seja de energia, internet ou rede”, explica. Ela possui dois selos Tier III: um de projeto, relacionado à estrutura tecnológica, e outro de operação, associado às melhores práticas da área de Facilities. Segundo o executivo, a rede de alimentação elétrica que atende a empresa é proveniente de duas linhas de distribuição distintas, sendo que a seletividade delas ocorre por meio de uma chave de computação automática de operação remota. “Em caso de falta de energia simultânea nas duas redes, o data center é atendido em sua plenitude por dois grupos de motor gerador dimensionados para uma autonomia acima de 24h. Todos os equipamentos (TI e Facilities) são adaptados para receber essas duas fontes”, diz. Outro aspecto importante é que o sistema de climatização atenda ao mesmo padrão de continuidade. O processo de refrigeração da empresa conta com uma configuração equipada com uma torre acumuladora de água gelada que permite a manutenção da temperatura mesmo em casos de falhas. “Todos esses cuidados garantiram, e continuam garantindo, que a infraestrutura do data center da empresa não fique indisponível, nem por um segundo, motivada por falhas de Facilities”, destaca o coordenador. Para a prevenção de incêndio, a companhia utiliza uma tecnologia de inteligência artificial para analisar a qualidade do ar no ambiente e identificar princípios de foco de fogo antes mesmo do surgimento da chama. ”O sistema automático de combate a incêndios também conta com o gás NOVEC 1230, um avançado agente supressor pouco utilizado no Brasil, que se dispersa em até cinco dias após disparado”, informa. De acordo com o coordenador, a empresa ainda possui uma série de camadas de proteção que impede o acesso de pessoas não autorizadas em ambientes restritos, além de mais de 90 câmeras digitais com qualidade HD para monitoramento de todos os 6.000 metros quadrados de espaço físico da organização. “Temos bastante capacidade para ampliar nossas instalações construídas e manteremos os investimentos para estarmos sempre à frente nesse mercado”, completa o executivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *